[Novidade] Conheça o novo relatório do módulo Maestro de Biofeedback

[Novidade] Conheça o novo relatório do módulo Maestro de Biofeedback

Um dos grandes diferenciais da técnica de Biofeedback é a possibilidade de analisar dados musculares de fora objetiva e prática. Portanto, ao mesmo tempo em que esse recurso pode ser utilizado para o treinamento muscular, ele também serve como uma poderosa ferramenta de acesso a dados.

Na plataforma neuroUP, um dos principais módulos de Biofeedback é chamado de Maestro. Ao finalizar as sessões, esse sistema gera um relatório com informações gráficas e números para que possamos analisar os padrões funcionais de ativação durante a sessão.

A primeira novidade é que esse sistema acabou de passar por uma repaginação no visual e na disposição das informações. Portanto, agora o relatório contém textos explicativos e o seu design foi repensado para facilitar a sua interpretação por pessoas que ainda não conhecem a tecnologia a fundo.

📑 E as novidades não param por ai: na nova versão, os relatórios serão enviados já no formato .PDF. Isso irá facilitar bastante na visualização, no armazenamento e no compartilhamento do relatório pelos usuários.

Nessa postagem, irei te apresentar cada parte do relatório e irei comentar algumas informações úteis e dicas de interpretação. 

Cabeçalho e resultados

Na primeira parte do relatório, você terá acesso aos dados de identificação do participante e do profissional que acompanha as sessões.

💡Uma novidade é que o cabeçalho agora contém a informação do nome do músculo que foi utilizado na sessão.

O EVA significa “Escala Visual Analógica”, informação informada pelo participante da sessão e que está relacionada com o nível de tensão, rigidez ou dor, de acordo com o caso.

Essa escala vai de 0 a 10, onde 0 significa a ausência dessa sensação e 10 representa a maior sensação já sentida na vida pela pessoa. 

Após o cabeçalho, nós iremos observar os dados dos resultados da sessão. A primeira informação oferecida é o gráfico da potência elétrica muscular durante o tempo da sessão (uV RMS x tempo). Essa informação coincide com o o movimento realizado pela nave na tela do aplicativo Maestro, durante a sessão.

Além da inspeção visual do gráfico, você também terá acesso a duas informações numéricas que são calculadas automaticamente pelo algoritmo:

  1. Potência muscular média: cálculo da média da atividade elétrica que ocorreu durante toda a sessão. Esse marcador está relacionado o nível de tônus (contrações isométricas) durante a coleta dos dados. Esse valor tende a diminuir com o relaxamento, por exemplo, já que menos fibras despolarizaram no músculo nesse período. 
  2. Contrações fásicas por minuto: o algoritmo da neuroUP realiza uma contagem automática da quantidade de contrações fásicas. Esse tipo de movimento acontece quando realizamos um significativo da contração, seguido por um relaxamento, ou seja, quando realizamos um abalo da atividade muscular. Normalmente, esse marcador está relacionado com a agitação motora ou com a quantidade de movimentos realizados pela pessoa.

Guia para compreender a análise dos resultados

Mas, como interpretar esses resultados para entender o nível de atividade que a pessoa desempenhou durante a sessão?

O servidor na nuvem do neuroUP PRO contém um banco de dados com os sinais de pessoas saudáveis (sem dor ou alteração funcional muscular). Esses dados foram coletados em pessoas já treinadas para aprender relaxar através do Biofeedaback e que foram orientados a ficar 10 min em repouso. 

Então, sempre que uma sessão do Maestro sobe para o servidor, o algoritmo da neuroUP realiza uma comparação estatística entre os dados da sua sessão com a base de normalidade. Dessa forma, o sistema pode realizar um inferência da faixa de atividade a pessoa, estava em relação a esse grupo controle. As faixas são definidas da seguinte forma: repouso (0 a  84,16%), baixa atividade (84,17% a 97,5%) e ativado (97,6 a 100%).

Ou seja, quanto maior a porcentagem, significa que a pessoa estava mais ativa durante a coleta dos dados. Portanto, mais distante essa pessoas estava de um grupo controle de repouso.

Análise dos resultados

A parte final do relatório contém as informações explicadas no módulo anterior, porém já representando os resultados cada uma das variáveis.

Em alguns casos, é possível que as duas variáveis apresentem faixas diferente de ativação. Isso acontece por conta das variações no padrão funcional das contrações que a pessoa realizar.

De forma geral, o marcador da potência muscular média está mais relacionado com as contrações isométricas (sustentadas), pois que elas tendem a ser mais duradouras e a somar um maior volume de potência elétrica na média da sessão.

Já o marcador de baixo, das contrações fásicas por minuto, é alterado quando o padrão de ativação muscular é mais de contrações repetitivas. Ou seja, é frequente quando ocorre movimentação na articulação relacionada com o músculo.

Portanto, se a pessoa tiver uma boa capacidade de relaxamento muscular, as duas variáveis deverão ficar dentro (ou muito próximo) da faixa de REPOUSO. 

Caso tenha dúvidas, a nossa equipe de suporte estará à disposição para te orientar com o necessário:

 

Bira Maciel

Diretor Científico da neuroUP

Mestre em Neurociências pela UFPE

Fisioterapeuta pela UFPE/UCAM (Espanha)

ubirakitan@neuroup.com.br

Compartilhe esse conteúdo:

Deixe uma resposta