Dicas para ajudar seu familiar no pós AVC | Janaína Costa

You are currently viewing Dicas para ajudar seu familiar no pós AVC | Janaína Costa

Olá, me chamo Janaína Costa, sou Fisioterapeuta, com mestrado pela Universidade Trás Os Montes e Alto Douro (Portugal), professora das disciplinas de Fisioterapia Neurológica da Universidade de Passo Fundo (Rio Grande do Sul), por 13 anos e com experiência na reabilitação de pacientes neurológicos há mais de 18 anos.

Hoje, no segundo episódio do Falando sobre AVC com você, vou falar um pouco mais sobre AVC e dar algumas dicas para que você ajude o seu familiar, numa fase inicial do AVC.

Janaina Costa-neuroUP

A grande maioria das pessoas já ouviu falar sobre o AVC, MAS O QUE É UM AVC?

O AVC refere-se à uma interrupção do fluxo sanguíneo que mesmo por um curto período de tempo, ocorre quando uma artéria que fornece sangue ao cérebro é bloqueada ou se rompe levando a dano ou morte celular e consequente comprometimento funcional neurológico.

Mas quais são as principais manifestações clínicas?

As alterações podem ser motoras, sensitivas, de linguagem, equilíbrio e consciência. O paciente pode apresentar dificuldades para engolir, problemas psicológicos e emocionais, dependendo da área afetada.

E as causas do AVC?

saiba-quais-sao-os-tipos-de-avc

As causas do acidente vascular são divididas em duas principais categorias: hemorrágica e isquêmica. No acidente vascular encefálico hemorrágico ocorre a ruptura de um vaso sanguíneo dentro da cavidade encefálica, provocando extravasamento de sangue e como consequência o dano no tecido cerebral. O acidente vascular encefálico isquêmico resulta de uma redução transitória ou permanente do fluxo sanguíneo cerebral. Se a pessoa for tratada adequadamente na fase inicial, muitos movimentos perdidos podem ser adquiridos.

Como a fisioterapia pode auxiliar o paciente?

A fisioterapia atua em todas as fases do AVC desde a fase hospitalar, seja auxiliando a manutenção de posturas adequadas de forma a prevenir as deformidades musculoesqueléticas, prevenir escaras, prevenir problemas circulatórios, e principalmente promover a consciência de um lado do corpo.

Inicialmente, na fase hospitalar, é necessário que se evite ficar deitado na cama por várias horas, a mudança de posição ajuda a restaurar a função sensorial que, por hora, pode estar perdida no AVC. A posição do paciente deve ser ajustada sempre a cada 2 ou 3 horas. O paciente deve ser posicionado corretamente, porque algumas posições inadequadas podem aumentar o tônus muscular.

Lembre-se de deixar seu familiar em uma posição adequada desde o início isso é fundamental para a sua recuperação. Algumas posições podem aumentar o tônus muscular.

Aqui vão algumas dicas para ajudar seu familiar a melhorar a força após AVC:

Lembre-se de falar com o seu familiar sempre pelo lado mais afetado isso faz com que vire a cabeça para esse lado e ainda proporciona uma estimulação sensorial muito importante nessa fase inicial.

A posição dos móveis do quarto deve ser sempre para o lado mais afetado, é necessário que se verifique que não haja muito barulho e nem iluminação excessiva.

A cama não de ser firme e nem macia demais, pois não ajudará a sua circulação sanguínea e ainda aumentará a sua tonicidade.

Evite uso da tipoia. É errado pensar que usando uma tipoia vai impedir a subluxação do ombro por deixar o braço elevado. 

Ela reforça ainda mais o padrão, pois o cotovelo fica flexionado e o braço fica ainda mais perto do corpo e a mão virada pra baixo reforçando o aumento do tônus muscular a (espasticidade).

Evite de deixá-lo numa mesma posição, porque isso faz com que haja uma maior limitação ao movimento podendo levar a uma maior rigidez.

Posicionamento cuidadoso do corpo, o corpo deve ser encarado como um todo e o seu familiar deve o quanto antes ser encorajado a se mover sozinho

Quando mudar de posição evite de puxá-lo pela mão.

Olá, me chamo Janaína Costa sou Fisioterapeuta, com mestrado pela Universidade Trás Os Montes e Alto Douro em Portugal, professora das disciplinas de Fisioterapia Neurológica da Universidade de Passo Fundo no RS por 13 anos e com experiência na reabilitação de pacientes neurológicos a mais de 18 anos. Sou certificada em Biofeedback pela neuroUP desde 2017.

WhatsApp: (55) 9192-7417
E-mail: janafisio2013@gmail.com

Tecnologia Biofeedback

Deixe um comentário