[E-book] Biofeedback portátil na região pélvica (períneo)

You are currently viewing [E-book] Biofeedback portátil na região pélvica (períneo)

Desafios do treinamento dos músculos pélvicos

O assoalho pélvico é uma região fundamental para a sustentação dos órgãos dos sistemas reprodutor, urinário e digestivo. Os músculos presentes nesta região possuem função chave na redução de perda de urina e na melhora do desempenho sexual, por exemplo. 

Mas, infelizmente, a maioria das pessoas não sabe ativar estas estruturas corretamente.

São músculos internos e que não podem ser vistos pela própria pessoa, portanto é muito comum que as pessoas tenham dificuldade para controlá-los. Por este motivo, as técnicas de Biofeedback têm sido utilizadas há décadas para aumentar a consciência corporal e acelerar o processo de treinamento muscular desta região.

O que é o Biofeedback?

O Biofeedback é um conjunto de recursos que permitem o treinamento cerebral com base na visualização pela própria pessoa dos sinais do seu corpo.

Imagina se pudéssemos “ver” ou “ouvir” os nossos músculos do períneo sendo ativados, em tempo real?

 Desta forma, nós conseguimos aprender de forma mais rápida, já que é possível receber feedbacks positivos, sempre que realizamos contrações ou relaxamentos efetivos, ou receber feedbacks negativos, quando não desempenhamos estratégias que não são efetivas.

Quais são os tipos de Biofeedback na região pélvica?

As principais modalidades de Biofeedback na pelve são baseadas em sensores de pressão ou de atividade elétrica.

1. Biofeedback por pressão: o primeiro, também conhecido como Manométrico, é formado por sondas endovaginais ou endoanais que são infladas. Quando a pressão exercida na região é aumentada, estes dispositivos apresentam representações gráficas ou auditivas que indicam que estes níveis foram aumentados.

Biofeedback Pneumatic Pelvic Floor Muscle Trainer with Inflatable Vaginal SensorEsta modalidade possui relativa simplicidade para ser utilizada, porém os sinais não são específicos para os músculos do assoalho. O aumento da pressão na sonda pode ser realizado, por exemplo, por contrações isoladas dos abdominais ou dos adutores da coxa, sem a ativação correta dos músculos do assoalho pélvico. Não que a ativação destes músculos atrapalhe a realização da função desejada, mas este treinamento não apresenta efetividade se o períneo, de fato, não for ativado.

2. Biofeedback por atividade elétrica: como alternativa, a técnica padrão ouro e mais específica para medir os sinais do períneo utiliza a captação da atividade elétrica dos músculos. 

Este tipo de Biofeedback realiza a medição de sinais utilizando sondas endocavitárias, iguais às utilizadas em eletroestimulação, ou através de eletrodos adesivos posicionados no corpo perineal, externamente. Os dados gerados por esse sistema estão relacionados diretamente ao recrutamento das fibras musculares do local de interesse.

Portanto, os sinais que são captados pelo sistema são seletivos para a ativação do assoalho e fornecem feedbacks muito mais detalhados sobre o recrutamento neurológico destas regiões.

Além disso, esta tecnologia tem um grande benefício que é a geração de relatórios e análises objetivas para medir e comprovar a efetividade dos treinamentos.

Como o Biofeedback muscular funciona na prática?

Após realizar o posicionamento da sonda ou dos eletrodos, os sinais elétricos são amplificados por dispositivos portáteis, como o Myobox da neuroUP, que possui comunicação por Bluetooth que reduz significativamente os artefatos elétricos e interferências por movimentação.

Esse sistema permite a realização de sessões com menos de 4 min de preparação, pode ser facilmente trasportado em um pequeno estojo e permite a visualização de sinais no próprio celular, caso prefira, ou no computador através de um cabo USB. E, o melhor de tudo, o sistema é bastante acessível e permite o retorno do investimento em poucas sessões. Portanto, cabe no bolso, literalmente.

Neste material, iremos exemplificar o funcionamento dos principais protocolos de treinamento na região do períneo:

Protocolos: ganho de consciência muscular

No início do treino, a maioria das pessoas possui pouco ou nenhum controle voluntário sobre a atividade dos músculos do assoalho pélvico.

Portanto, nós utilizamos o módulo chamado Maestro que apresenta as informações de forma lúdica e detalhada para que a pessoa consiga aprender a atividades o períneo de forma seletiva e efetiva.

Durante este treino, a pessoa irá receber feedbacks visuais e auditivos que aumentam os inputs sensoriais para que o cérebro aprenda de forma mais rápida. Além da propriocepção, as pessoas poderão ver e ouvir representações da sua ativação muscular.

O objetivo será aumentar a potência elétrica para que a nave espacial passe da linha do limiar que é calculada automaticamente com base nas capacidades individuais de cada pessoa. Além disso, objetivo será fazer com que o som de notas de piano toquem de forma mais aguda e rápida. Ao final, é possível gerar um relatório automaticamente para medir a efetividade deste treino.

Protocolos: controle fino da musculatura e aumento do desempenho

Após essa fase inicial de treinamento básico, nós podemos progredir para um módulo mais avançado e que desafia o cérebro a ter o controle fino sobre os músculos do assoalho.

No módulo Recovery, o objetivo será de seguir uma trajetória que é criada de forma personalizada para cada pessoa. A sequência de treino inclue momentos de relaxamento e de contração, onde iremos trabalhar diversos aspectos da contração muscular e de forma controlada.

Além disso, é possível determinar níveis de esforço que são adaptados para a fase que a pessoa está no treinamento. Semelhantemente ao módulo anterior, nós podemos ter acesso a um relatório objetivo que mede os níveis de repouso, de atividade máxima e o desempenho muscular na sessão de treinamento.

Protocolos: treinos funcionais com ativação do períneo

Depois que a pessoa aprende a ativar corretamente estes músculos, é possível progredir para treinamentos mais fucionais, como a simulação de tosse ou com exercícios utilizando bola suiça, por exemplo. Nestes casos, é importante que o feedback seja o mais simples possível para facilitar a coordenação e entendimento da resposta gráfica. 

Portanto, nós utilizamos um módulo chamado Control que apresenta uma barra vertical que sobe e desce, de acordo com o padrão muscular.

Este gráfico também é individualizado e é posssível saber, em tempo real, se o músculo está relaxado (à baixo de 10% da forma máxima da pessoa) ou se está realizando esforços leves, moderados ou intensos. Essa barra vai mudando de cor na medida que maiores níveis de ativação são atingidos pelo participante. 

Considerações finais

O Biofeedback por captação da atividade elétrica é um recurso que passou a ser acessível, é de fácil e rápida aplicação e gera um aumento significativo do aprendizado motor. Além disso, é uma ferramenta que gera dados objetivos para medir a evolução dos treinamentos. portanto, e uma tecnologia capaz de agregar valor aos treinos desta musculatura tão importante.

Se quiser conhecer uma pouco mais desta solução e ver uma demonstração ao vivo por videoconferência para entender se esta técnica é indicada para você, estarei a disposição or WhatsApp:

Perguntas Frequentes

A aplicação pode ser utilizada tanto para a avaliação da função do assoalho pélvico, com o protocolo que mede a Contração Voluntária Máxima (CVM), quanto para auxiliar a realização de exercícios guiados por Biofeedback.

Sim, todos os protocolos são individualizados com nas potencialidade de cada participante. O limiar de contração é definido em cada sessão com base na capacidade contração do participante.

O treinamento muscular pode ser guiado pelo feedback visual (na tela de um celular ou tablet) ou através de um feedback auditivo que varia o tom de notas musicais com base na potência muscular da pessoa, em tempo real.

O profissional pode adquirir 2 tipos de cabos (R$250/par):

  • Mini cabos que permitem a comunicação com sondas endocavitárias
  • Mini cabos para uso com eletrodos adesivos no corpo perineal

Sim, os profissionais assinantes do serviço podem emitir relatórios das sessões de Biofeedback em formato pdf. Essas informações ficam salvas em nuvem e podem ser enviadas por e-mail ou impressas.

O serviço de emissão de relatórios é opcional ao profissional, pelo valor de R$99/mês e garante emissão de relatórios ilimitados. O pagamento é recorrente no cartão de crédito (não ocupa limite do cartão).

  • 1 (um) Myobox2+ (tecnologia portátil para captação)
  • Eletrodos Adesivos (kit inicial com 100 unidades)
  • Acesso ao App (com 2 módulos)
  • Certificação em Biofeedback (treinamento on-line)
  • Suporte ao usuário (atendimento para orientações de uso)

Valor: R$3.200 

À vista com 8% de desconto: R$ 2.944 ou em até 12x de R$267

Itens opcionais:

  • Par de Cabos: conexão com sondas intracavitárias ou para uso no corpo perineal (R$250/par)
  • Assinatura para emissão de relatórios e acesso ao módulo Control (R$99/mês)

 

Compartilhe esse conteúdo:

Bira Maciel

Diretor científico da neuroUP

Mestre em Neurociências pela UFPE

Fisioterapeuta pela UFPE/UCAM (Espanha)

ubirakitan@neuroup.com.br

confira todos os benefícios de ser um assinante neuroUP

O que compõe a sua assinatura?

Myobox2+

Tecnologia portátil e sem fio para captação

Serviço de Análise de Dados

Com backup das sessões em nuvem

Suporte ao usuário

Atendimento para orientações de uso

Eletrodos Adesivos

Kit inicial com 100 unidades

Acesso ao App e Módulos Premium

Compatível com iOs e Android

Certificação

On-line e focada na sua área de atuação

Ferramenta lúdica e interativa

Maior compreensão e engajamento

Games controlados por exercícios e pelo relaxamento muscular.

Receba o contato por WhatsApp

Quer saber mais informações?

Deixe um comentário