O cérebro com dor de cabeça: principais causas e estratégias de controle

O cérebro com dor de cabeça: principais causas e estratégias de controle

A dor de cabeça é uma resposta de defesa do nosso cérebro, mas que pode atrapalhar bastante a nossa qualidade de vida quando acontece em excesso. Portanto, caso a pessoa sinta dores por mais de três meses seguidos, ela já passa a ser considerada crônica e pode causar alguma série de mudanças no funcionamento do nosso cérebro.

Esse e-book tem como objetivos informar sobre as principais alterações que acontecem no cérebro de pessoas com dor de cabeça e apresentar estratégias mais atuais para o controle desses sintomas.

Encontre especialistas

PROFISSIONAIS CERTIFICADOS EM BIOFEEDBACK NA SUA região

Conheça o Biofeedback

Mas, por quê sentimos dor de cabeça?

A dor é uma experiência desagradável que nos alerta de que algo de errado está acontecendo com o nosso corpo.

What Type of Headache You Have Based On Its LocationEssa resposta é importante para a nossa sobrevivência e nos ajuda a evitar riscos de vida e de danos aos nossos tecidos. 

O problema é quando esse sintoma passa a ser recorrente e a atrapalhar a realização de atividades do dia-a-dia, as relações pessoais e o trabalho ou estudos.

Portanto, sentir dores por muito tempo não é normal. É possível viver sem dor e com mais qualidade de vida encontro os profissionais mais especializados no assunto.

Quais são as respostas do cérebro enquanto estamos com dor de cabeça?

Uma das reações mais importantes é o aumento da contração dos músculos. O objetivo dessa resposta é fazer com que a pessoa proteja essa região de lesões. O problema é que, muitas vezes, essa resposta é exagerada e faz com a dor seja ainda mais intensificada por conta dessa tensão em excesso gerada nos músculos.

Um dado que poucas pessoas sabem é que cerca de 80% das dores de cabeça são de origem muscular.

Ou seja, muitas vezes, as pessoas acreditam que possuem enxaqueca por conta da gravidade da sua situação. Porém, a enxaqueca verdadeira é uma reação que corresponde a menos de 20% dos casos.

Então, o que pode causar a contração e dor nos músculos da cabeça?

Um dos principais mecanismos relacionados com as dores de cabeça musculares nas regiões da face e da lateral da cabeça é o chamado Bruxismo de Vigília.

Diferentemente do Bruxismo do Sono, relacionado com o ranger dos dentes noturno, o subtipo da “Vigília “ ou “Acordado” acontece durante o dia. 

Esses hábitos acontecem principalmente quando estamos estressados ou muito concentrados em atividades como utilizar o celular, assistir televisão, ler, etc.

Esse tipo de Bruxismo é caracterizado pelo apartamento dos dentes, pela tensão dos músculos da mastigação (que ficam próximos às bochechas e na lateral da cabeça) ou por comportamentos de morder a língua, objetos ou as unhas.

Na maioria das vezes, nós nem sequer percebemos que estamos realizando essas contrações, mas após passar várias horas do dia realizando esses hábitos, as dores ou o desconforto podem começar aparecer e atrapalhar a qualidade de vida.

Ou seja, se você estiver nesse momento lendo o texto com os dentes encostados ou com os músculos tensionados, recomendo fortemente que relaxe e desencoste, agora mesmo.

Como saber se eu tenho excesso de contração nos músculos da mastigação?

Uma tecnologia que é cada vez mais difundida no Brasil para a avaliação do Bruxismo de Vigília é chamada de Biofeedback muscular.

Essa técnica utiliza sensores para medir de forma objetiva os níveis de tensão dos músculos que podem causar dores na região da cabeça. Veja como funciona:

Com esse recurso, é possível descobrir se os níveis de atividade estão fora da normalidade e, principalmente, se a pessoa possui a capacidade de relaxar de forma suficiente para controlar as suas crises de dor.

Caso os valores estejam elevados, a mesma tecnologia de Biofeedback também pode te ensinar a controlar esses músculos de forma avançada.

Dessa forma, é possível ter maior segurança, já que a pessoa aprende uma estratégia efetiva para evitar que as crises apareçam ou para reduzir a sua intensidade.

A literatura científica tem demonstrado que o treinamento de Biofeedback é seguro e capaz de reduzir a necessidade de medicamentos analgésicos e os seus efeitos tendem a ser de longo prazo (duradouros).

Portanto, caso a sua qualidade de vida esteja prejudicada pelas dores, existem alternativas acessíveis de controle. Busque atendimento especializado e priorize o seu bem-estar. Realize uma busca e encontre profissionais especialistas na sua região:

Compartilhe esse conteúdo:

Bira Maciel

Diretor científico da neuroUP

Mestre em Neurociências pela UFPE

Fisioterapeuta pela UFPE/UCAM (Espanha)

ubirakitan@neuroup.com.br

Quer saber mais informações?

Receba o contato por WhatsApp

Deixe uma resposta

×
×

Carrinho