Posição da mandíbula e o músculo Temporal

maxilar

POSIÇÃO DA MANDÍBULA X MÚSCULO TEMPORAL

A atividade elétrica muscular, captada através da Eletromiografia, reflete a somação dos potenciais de ação de um local. O aumento de sua potência significa que mais fibras estão sendo disparadas com relação espacial ou temporal entre si.

Mas quais são os fatores que influenciam as variações da potência desse sinal?

As principais variáveis que influenciam são a posição articular e a modulação do sistema nervoso central:

Ou seja, o tônus muscular é influenciado por fatores biomecânicos, pela ação de áreas motoras corticais e pelo processamento doloroso. Nós gravamos um VÍDEO que evidencia alguns desses mecanismos na prática:

PROPRIOCEPÇÃO

Os nossos músculos são dotados de um sistema de sinalização interna, chamado de propriocepção e que nos protege de situações danosas aos tecidos.

Esses terminais (Figura 1) são capazes de detectar variações abruptas no comprimento (fuso muscular) e no estiramento (órgão tendinoso de golgi) dos músculos e no ângulo da articulação (receptores da cápsula articular).

De maneira geral, o reflexo que é desencadeado faz com que os músculos agonistas ou antagonistas se contraiam como forma de proteção.

Figura 1: Sistema de propriocepção muscular. Fonte: Portal da Universidade Estadual Paulista

Portanto, quando abrimos a boca de forma abrupta, os músculos depressores da mandíbula sofrem uma variação rápida do seu comprimento,que é detectada pelos fusos musculares.

Para equilibrar esse sistema, os músculos antagonistas (de ação contrária) são ativados para inibir esse movimento de abertura (Figura 2).

Figura 2. Abertura forçada da boca. Note um pico de ativação do músculo temporal que é antagonista ao movimento de depressão da mandíbula

MODULAÇÃO CENTRAL

Mas a principal variável capaz de alterar o tônus do nossos músculos é o comando do sistema nervoso central sobre o músculos. O processamento da motricidade ocorre em diversos centros cerebrais e cerebelares.

A nível subcortical, nós temos o núcleo estriado, que tem participação direta em movimentos voluntários e involuntários. E do ponto de vista cortical, a área motora primária é o principal centro de eferência para ativar o sistema nervoso periférico.

Portanto, para manter os dentes encostados (Figura 3a), mesmo que de leve, nós ativamos esse circuito que recruta as fibras musculares para manter a posição articular desejada.

De maneira ainda mais evidente, quando encostamos os dentes com força, esse circuito é ativado de forma ainda mais intensa (Figura 3.b)

Figura 3. Resposta eletromiográfica do músculo temporal. A) apertamento leve. Potência muscular ~12 uV RMS; B) apertamento forte. Potência muscular ~60 uV RMS

 

Você gostaria de ter acesso a essa ferramenta ?

Ubirakitan Maciel

Diretor científico da neuroUP

Mestre em Neurociências pela UFPE