Técnica avançada para relaxar os músculos

Técnica avançada para relaxar os músculos

A maioria das pessoas têm dificuldade para relaxar voluntariamente. O maior desafio é saber quais são as estratégias que, de fato, funcionam para reduzir a atividade de um músculo tensionado.

A primeira tentativa costuma ser a movimentação dos ombros, do pescoço ou da mandíbula, com a intenção de encontrar uma posição de alívio. Sem sucesso, a pessoa tenta massagear essas regiões, o que acaba aumentando ainda mais a contração muscular. 

O passo seguinte costuma ser o consumo de medicamentos não supervisionados, o que pode até gerar um alívio momentâneo, mas que não resolve a causa do problema. Então, infelizmente, o desconforto retorna no dia seguinte e continua a atrapalhar a realização das atividades diárias.

Nesse e-book nós iremos falar sobre como a técnica de Biofeedback pode ser utilizada como um recurso para ensinar o controle avançado sobre a tensão dos músculos.

Como a tecnologia pode ajudar no relaxamento avançado?

Imagina se as pessoas pudessem “ver” ou “ouvir” informações objetivas sobre o próprio nível de tensão muscular? Com esse recurso, elas seriam capazes aprender a relaxar e poderiam aplicar esses conhecimentos nos momentos em que precisarem. 

O Biofeedback é uma técnica de treinamento que capta os sinais musculares e que permite a sua visualização em telas de smartphones ou tablets. Dessa forma, é possível ensinar estratégias efetivas de relaxamento e confirmar o efeito dessas intervenções em tempo real. Essa técnica é um treinamento cerebral que ensina a consciência corporal para pessoas com dificuldade em controlar a tensão do corpo.

O Biofeedback é realizado com o auxílio de dispositivos portáteis que captam o nível de contração muscular de forma não-invasiva e indolor. Esses sinais são transmitidos por Bluetooth para aplicativos e são convertidos em jogos e elementos gráficos. Esses recursos lúdicos facilitam o aprendizado e aumentam o entendimento das pessoas sobre o próprio nível de atividade.

Com esse treinamento, a pessoa adquire novas capacidades e passa a ser capaz de controlar o nível de tensão voluntariamente. Isso acontece devido à formação de novas conexões cerebrais que são geradas por esse aprendizado, fenômeno fisiológico conhecido como Neuroplasticidade.

Equilíbrio biomecânico

A primeira capacidade que o Biofeedback contribui é na identificação das posturas com melhor equilíbrio biomecânico. Essas posições neutras fazem com o que os músculos atinjam o relaxamento pela redução na frequência de disparos de potenciais de ação.

Esses ângulos articulares precisam ser personalizados, já que variam pessoa para pessoa de acordo com fatores anatômicos e funcionais. 

Quando as articulações não estão nesse ângulo ideal, a tendência é o aumento da atividade elétrica nos músculos relacionados. Por exemplo, se um músculos estiver em posição de encurtamento, ocorrerá o tensionamento das fibras musculares. O resultado será um aumento na taxa de disparo de potenciais de ação nessa estrutura.

E, é importante destacar que isso acontece mesmo sem o comando do Sistema Nervoso Central. Ou seja, posturas inadequadas levam ao aumento do tônus, mesmo que a pessoa não esteja com a intenção voluntária de realizar contrações.

O mesmo acontece quando a articulação está numa posição contrária ao movimento e que favoreça o estiramento. Ou seja, o alongamento forçado também pode ocasionar o aumento da potência elétrica dos músculos.

Isso acontece por conta do sistema de propriocepção que possuímos nos músculos e nas junções com os tendões. As variação repentinas no comprimento das fibras causam a estimulação dos Fusos musculares, enquanto que o estiramento forçado dessas estrutura ocasiona a ativação dos Órgãos Tendinosos de Golgi.

Por esse motivo, muito cuidado na hora de alongar os músculos. O ideal é realizar movimentos lentos e não forçar em posição de estiramento. Os músculos precisam se adaptar aos poucos, portanto o tempo de manutenção nessas posturas é um fator importante.

O treinamento com Biofeedback acelera esse processo e facilita o processo de identificação da postura de repouso. Para que, como isso, a pessoa aprenda a relaxar essa estrutura de forma voluntária e consiga aplicar esse conhecimento sempre que necessário.

Relaxamento gerado pelos exercícios

Além de ensinar a relaxar, o Biofeedback também pode ser utilizado para direcionar a coordenação de contrações musculares.

O objetivo principal é de aumentar o controle sobre os músculos. Ou seja, a pessoa deve ser capaz de contrair e de relaxar, de forma precisa e no momento certo. 

Realizar contrações também ajuda o nosso cérebro a perceber a diferença entre os estados de tensão e de repouso. Mais que ganhar força, o nosso objetivo é reforçar as conexões cerebrais nas áreas sensoriomotoras para aumentar a propriocepção dessas regiões. 

As técnicas de “contrai-relaxa” são utilizadas a décadas por Fisioterapeutas como uma estratégica para facilitar o relaxamento seguido de uma contração. Com o Biofeedback, esse treinamento poderá ser realizado de forma precisa e controlada. Os exercícios podem ser realizados com aplicativos de Biofeedback que fornecem informações sonoras relacionadas com o nível de atividade. 

Por exemplo, o aplicativo “Maestro” da neuroUP toca notas de piano de acordo com a potência muscular atingida. Quanto maior for o recrutamento muscular, mais agudo e mais agitado o som ficará. Dessa forma, o treinamento poderá ser realizado mesmo sem olhar para a tela.

Já em outros aplicativos, como o “Neuroturtle” da neuroUP, é possível determinar níveis de dificuldade e caminhos específicos para que a pessoa siga com a ativação dos músculos. Portanto, esse jogo ajuda a desenvolver o controle fino sobre o recrutamento muscular. É uma forma avançada de ganhar consciência sobre os músculos para saber relaxar e contrair voluntariamente.

Nesse formato de treinamento, é possível realizar um calibração inicial para verificar os níveis mínimos e máximos de atividade muscular. A intensidade das contrações seguintes será normalizada com base na calibração para controlar o esforço que será realizado. Portanto, a pessoa não poderá exagerar nem contrair menos que deveria. A pontuação só será atingida se a potência muscular for dentro da faixa desejada.

Além do parâmetro da intensidade, a duração das contrações também é controlada. Portanto, o desafio será contrair, manter e relaxar com os tempos propostos pelo sistema e determinados no programa de exercício. Por esse motivo, o resultado desejado desse treinamento é ganho da consciência e propriocepção avançada sobre os músculos.

Controle do sistema nervoso autônomo

Outro fator que pode influenciar a tensão muscular é a hiperatividade do sistema nervoso central autônomo. A ativação do sistema simpático pode ser causada por situações de estresse ou alta concentração em atividades e faz com que a pessoa fique em estado de alerta, ou seja, com o tônus aumentado.

As sessões de Biofeedback também ensinam a reduzir esse estado de proteção também conhecido como “co-contração protetora”. O feedback gerado pelo aplicativo funciona como um aviso para que a pessoa note que está em estado de alerta e perceba como reduzir essa contração tônica.

Dessa forma, a pessoa pode testar diversas estratégias e descobre quais delas funcionam para ela. A repetição faz com que essas ações tornem-se automáticas e que seja possível atingir esse estágio de forma breve e efetiva. O tempo para atingir o relaxamento reduz na medida em que a pessoa realiza mais sessões de treinamento.

Uma revisão sistemática com meta-análise demonstrou que, além de reduzir a tensão muscular, o treinamento com Biofeedback também reduziu sintomas de escalas de ansiedade e depressão ¹.

Considerações finais

As pessoas treinadas com o Biofeedback muscular aprendem novas habilidades que fazem com que elas aprendam o controle voluntário da tensão muscular. Essas novas capacidades poderão ser realizadas sempre que for necessário e permitem que a pessoa tenha controle sobre eventos de desconforto muscular.

Como vimos, as principais estratégias aprendidas com o Biofeedback para atingir esse feito são: a identificação de posturas neutras, o aumento da consciência corporal através de exercícios controlados e aprendizado do controle do estresse. O Biofeedback sempre foi uma técnica acessível apenas nos países desenvolvidos, mas atualmente passou a ser recurso portátil, com bom custo-benefícios e de fácil utilização. Portanto, é um recurso viável e que trás objetividade para o treinamento de pessoas com excesso de tensão nos músculos.

Você gostaria de conhecer a técnica de Biofeedback? Receba materiais avançados sobre a técnica:

Saiba mais sobre o Biofeedback portátil da neuroUP:

Ubirakitan Maciel

Diretor executivo da neuroUP

contato@neuroup.com.br

 

Referências: 

Nestoriuc, Y., Rief, W., & Martin, A. (2008). Meta-analysis of biofeedback for tension-type headache: Efficacy, specificity, and treatment moderators. Journal of Consulting and Clinical Psychology, 76(3), 379-396.

Compartilhe esse conteúdo:

Este post tem 2 comentários

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×
×

Carrinho