Instrumentos de avaliação do Bruxismo de Vigília

Instrumentos de avaliação do Bruxismo de Vigília

O Bruxismo de Vigília é um comportamento dos músculos mastigatórios e tem sido considerado como um grande vilão. O motivo é a sua associação com dores orofaciais e com lesões nos dentes, periodonto, língua e bochechas. Para te ajudar na sua identificação, nós desenvolvemos um material gratuito com algumas das principais ferramentas para te ajudar na avaliação do Bruxismo de Vigília.

O BRUXISMO DE VIGÍLIA É UMA DOENÇA?

Para começar, um ponto muito importante de destacar é que o Bruxismo da vigília, por si só, não é considerado um distúrbio ou uma doença. Os hábitos parafuncionais decorrentes dele podem acontecer mesmo na ausência de sintomas clínicos. Portanto, ele só passa a ser um problema quando gera consequências negativas para a saúde oral das pessoas. 

Ou seja, o Bruxismo de Vigília é um comportamento motor que pode ser um fator de risco para outras patologias. Uma das principais consequências dele são as Disfunções Temporomandibulares (DTM). Para saber mais sobre a avaliação de DTM, acesse: Ferramenta para auxiliar no Diagnóstico de DTM.

DESAFIOS DA AVALIAÇÃO DO BRUXISMO DE VIGÍLIA

Identificar os hábitos parafuncionais nem sempre é uma missão fácil ou trivial. Poucas são as pessoas que conseguem notar que realizam essas contrações. E, ainda mais grave, boa parte da população nem se quer sabe da existência ou da localização dos músculos mastigatórios.  

Portanto, o profissional de saúde tem dois desafios iniciais: identificar o Bruxismo de Vigília e convencer os pacientes que eles, de fato, possuem esses hábitos inadequados. Caso contrário, eles não irão entender os objetivos dos tratamentos e tenderão a não participar ativamente do processo de recuperação. 

Para auxiliar na educação do pacientes,  existem escalas de avaliação que analisam a percepção do paciente e instrumentos, como Biofeedback, que permitem a geração de gráficos relacionados com a atividade parafuncional (Figura 1).

Figura 1. Sistema de Biofeedback dos músculos mastigatórios. Fonte: neuroUP

Para ter ideia do quão sutil são essas contrações, nós realizamos uma comparação da atividade elétrica mastigatória com os dentes desencostados e levemente encostados (Figura 2). Note que a contração muscular foi aproximadamente 5 vezes maior durante o contato dental leve, porém essa diferença foi quase imperceptível através da observação da expressão facial.  💡 Saiba mais em “Relaxamento avançado por Biofeedback”

Figura 2. Atividade elétrica dos músculos mastigatórios. Na esquerda, os dentes estão desencostados e o sinal elétrico foi próximo a 5 uV RMS. Na direita, os dentes estavam encostados e a potência muscular foi próxima a 24 uV RMS. Fonte: neuroUP

1.QUESTIONÁRIO DE HÁBITOS ORAIS

Um passo importante para avaliar o Bruxismo de Vigília é investigar se a pessoa tem consciência sobre os próprios hábitos realizados com os músculos mastigatórios. 

Uma forma de investigar esses comportamentos é através do Questionário de Hábitos Orais,  instrumento que faz parte do “Critérios de Diagnóstico para Disfunção Temporomandibular (DC-TMD), publicado no Journal of Orofacial Pain.

Esse questionário consiste  de uma série de perguntas estruturadas e relacionadas com hábitos realizados nos últimos 30 dias. A pessoa deverá escolher entre uma das seguinte opções:  “Nunca”; “Uma pequena parte do tempo”; “Alguma parte do tempo”;  “A maior parte do tempo” ou “Todo o tempo”. 

Para facilitar o seu trabalho, nós criamos um formulário inteligente que coleta essas informações e que gera um PDF com o resumo das respostas. 

1. Primeiro passo: responda as perguntas do formulário à seguir:

⏱ Aguarde até 1 minuto

2. Segundo passo: clique no botão para  baixar o PDF com os resultados

Caso o paciente tenha uma boa consciência sobre esses hábitos parafuncionais (minoria dos casos) o Bruxismo de Vigília poderá ser classificado como uma caso “Possível” ¹. 

2. Eletrofisiologia do Bruxismo de Vigília

Uma forma objetiva de avaliar a habilidade de controlar os hábitos parafuncionais é através do uso de Instrumentos de medição da atividade elétrica dos músculos. 

A atividade elétrica dos músculos mastigatórios é captada na superfície da pele, através de equipamentos de Biofeedback. Esses dispositivos possuem amplificadores que enviam os dados elétricos para Tablets e Smartphones. 

O teste para avaliar a presença o Bruxismo de Vigília consiste no seguinte desafio: será que a pessoa é capaz de passar 10 minutos sem realizar contrações excessivas dos músculos Temporal (porção anterior) ou masseter?

Durante esse período, o participante é instruído a evitar movimentos com a mandíbula (fala e mastigação). Naturalmente, ocorrem pequenas contrações relacionadas com as deglutições, mas os sistemas mais modernos, como o da neuroUP, já contam com bases de dados para analisar se essas contrações estão dentro ou fora da normalidade (Estatística Z-score). 

Portanto, esses sistemas geraram relatórios automáticos com informações sobre a quantidade de contrações e o nível de atividade de repouso. 

Veja a diferença do relatório de uma pessoa treinada com a técnica de Biofeedback (Figura 3A) e de uma pessoa com Bruxismo de Vigília (Figura 3B)

Figura 3. Relatórios estatísticos da avaliação elétrica do Bruxismo de Vigília. A: pessoa treinada com a técnica de Biofeedback. Note que ele realizou poucas contrações durante o período e que a estatística ficou dentro da normalidade (faixa verde no gráfico); B: pessoa com Bruxismo de Vigília. Note que o participando realizou diversas contrações durante o teste e que o Z-score (estatística) ficou fora da normalidade (faixa vermelha).

Uma grande vantagem desses recursos é que os gráficos também ajudam as pessoas a tomarem consciência de que possuem hábitos deletérios à saúde. Isso faz com que a pessoa tome uma postura mais ativa e entenda que deverá esforçar-se para controlar esses hábitos.

Gostaria de começar a leitura sobre o tema? Acesse o site da neuroUP e saiba como essa técnica funciona na prática.

3. Aplicativo "Desencoste os seus dentes"

Uma forma ecológica de monitorar os hábitos parafuncionais é através do aplicativo gratuito “Desencoste seus dentes”. Esse recurso está disponível para smartphones iOS e Android e foi desenvolvido pela equipe dos doutores Roberto Garanhani e Wladmir Dal Bó.

O aplicativo gera notificações periódicas com perguntas sobre o apertamento dos dentes e sobre a dor nos músculos mastigatórios. Com o passar do tempo, é possível gerar gráficos para analisar a frequência desses episódios nos dias e semanas. 

Esse recurso é muito interessante pois também ajuda a pessoa a lembrar-se de desencostar os dentes durante o dia. Mas, os resultados dependem da colaboração da pessoa em baixar o aplicativo e de sua disciplina para responder as notificações com frequência. 

BÔNUS: Questionário "Transtorno de Ansiedade Generalizada" - GAD 7

A fisiologia do Bruxismo de Vigília tem elevada relação com os circuitos cerebrais envolvidos no Estresse. Quando algo não está correto com o nosso corpo ou com a nossa mente, nós tendemos a ficar em estado de alerta. E, uma das principais repercussões é o aumento da atividade dos músculos mastigatórios. Leia mais sobre o tema no e-book: O Cérebro com Bruxismo de Vigília”. 

O estresse passa a ser classificado como crônico quando nós somos expostos aos mesmos estímulos de forma contínua. Isso acontece em algumas profissões de risco, em ambientes de alta competição, durante a preparação para exames e ou em relacionamentos abusivos, por exemplo.

Mas, também existem períodos em que nós ficamos em estado contínuo de tensão e nervosismo, mesmo na ausência de um elemento causador latente, passando a ser caracterizado como “Ansiedade“. O nosso corpo apresenta as mesmas respostas do Sistema nervoso autônomo simpático e nós tendemos a ficar mais agitados e/ ou tensionados.

Uma forma de realizar um screening inicial sobre esse estado de Ansiedade é através do questionário de “Transtorno de Ansiedade Generalizada” – GAD -7. De forma isolada, essa ferramenta não confirma o diagnóstico clínico, mas indica que os sintomas da Ansiedade podem estar presentes. Nesses casos, é importante que o paciente seja encaminhado para profissionais especialistas em saúde mental. 

O GAD-7 é composto por sete perguntas relacionadas com os últimos 15 dias. As respostas variam entre: “Nenhuma vez”; “Vários dias”, “Mais da metade dos dias” e “Quase todos os dias”.

Para facilitar a aplicação desse instrumento, nós elaboramos um formulário inteligente que permite a geração de um relatório em PDF, ao final:

1. Primeiro passo: responda as perguntas do formulário à seguir:

⏱ Aguarde até 1 minuto

2. Segundo passo: clique no botão para  baixar o PDF com os resultados

Espero que tenha gostado dos materiais. Caso tenha dúvidas, será um prazer conversar mais sobre o tema.

Bira Maciel
Diretor Executivo da neuroUP

ubirakitan@neuroup.com.br

Compartilhe esse conteúdo:

Referências:

  1. Ohrbach R, Beneduce C, Markiewicz MR, McCall WD Jr.
    Psychometric properties of the Oral Behaviors Checklist:
    Preliminary findings. J Dent Res 2004;83(special issue
    A):1194.

Deixe uma resposta